Bariátrica

Popularmente conhecidas como Cirurgia Bariátrica, as gastroplastias são intervenções cirúrgicas que alteram o tamanho do estômago e o trajeto do alimento. 

O objetivo do procedimento é promover a perda de peso corporal de pacientes que estejam com IMC acima de 35 e doenças consideradas graves.

 

São 5 procedimentos autorizados e entendidos pelo Conselho Federal de Medicina como cirurgia bariátrica:

  • Bypass Gástrico com Derivação Intestinal em Y de Roux
  • Sleeve Gástrico (Gastrectomia Vertical)
  • Banda Gástrica Ajustável
  • Switch Duodenal
  • Cirurgia de Scopinaro (Derivação Bilio-Pancreática) 


As técnicas Sleeve Gástrico e By-pass são realizadas com mais frequência pelos cirurgiões do aparelho digestivo e ambas reduzem a capacidade gástrica do paciente, o que leva ao emagrecimento necessário.

Técnica Sleeve

Nessa técnica, o fundo, parte do corpo e antro gástrico do estômago são removidos, fazendo com que o órgão adote a forma de tubo, com cerca de 80mL a 100mL de volume. A grelina (presente no fundo gástrico) – hormônio responsável por estimular o apetite – deixa de ser produzida. Quando a diminuição do apetite é aliada à nova capacidade gástrica, a perda de peso acontece de forma eficaz. Entre 25% e 35% do peso total são eliminados até 18 meses após a cirurgia. A manutenção do resultado deve acontecer por meio de reeducação alimentar e exercícios físicos.

BY-PASS

Neste procedimento, o estômago é grampeado e o trânsito intestinal é desviado, fazendo com que a capacidade gástrica seja diminuída para cerca de 25mL. Em até 18 meses, o paciente que passa por esse procedimento perderá entre 30% a 35% do seu peso corporal. Com o desvio do intestino, há um maior estímulo na produção de hormônios intestinais que aumentam a sensação de saciedade.

Perguntas Frequentes

A indicação da técnica cirúrgica é feita pelo cirurgião em acordo com o paciente, e deve ser baseada na avaliação individual de cada caso e paciente.

Não. O emagrecimento acontece de forma gradativa durante o pós-operatório. Sendo que, os pacientes que realizam a cirurgia com a técnica sleeve, tendem a eliminar entre 25% a 30% do seu peso e os que passam pela cirurgia com a técnica by-pass, podem perder entre 30% e 35% do peso total.

Sem dúvidas. O paciente que se submete a um procedimento como este deverá fazer uma dieta específica que envolverá a alimentação líquida, líquida-pastosa, pastosa e sólida. O corpo precisará entender a nova condição e o paciente, por sua vez, terá de optar por alimentação mais saudável para alcançar e manter o resultado da cirurgia.

Geralmente sim. A frequência e o período de suplementação dependerão dos níveis de ferro e outras vitaminas importantes para a saúde.

Sim. Totalmente possível. A gestação não vai influenciar nos resultados de uma cirurgia bariátrica. Recomendamos um tempo mínimo de 18 meses após a cirurgia para engravidar. A gestante precisará de acompanhamento para um ganho de peso ideal e saudável para ela e para o bebê. Isso não significa engordar tudo de novo.

Pode, mas não é muito comum. Isso acontece com até 30% dos pacientes que passam pela bariátrica. Fique atento ao acompanhamento nutricional, à prática de exercícios, à disciplina na hora das refeições, ao etilismo e, claro, ao acompanhamento psicológico.

Com cerca de 2 anos, com o peso mantido, é possível realizar a remoção da pele excedente dos pacientes que se submeteram à cirurgia bariátrica.

Sim. Para que a cirurgia seja realizada com o máximo de segurança. Mas na maioria das vezes, esse emagrecimento acontece em virtude da reeducação alimentar iniciada antes da cirurgia.

Endoscopia digestiva, ultrassom abdominal, exames laboratoriais, raio-x de tórax, prova de função pulmonar, polissonografia, eletrocardiograma e ecocardiograma com doppler, entre outros.

Responda o questionário e veja se você é um candidato para cirurgia bariátrica.

É comum que os pacientes sejam indicados por endocrinologistas e/ou nutricionistas. Mas uma avaliação pode ser feita diretamente pelo cirurgião bariátrico, em consulta.

Riscos e benefícios precisam ser avaliados caso a caso. Mas a verdade é que a cirurgia bariátrica é uma grande aliada para o tratamento de problemas cardiológicos como a hipertensão, por exemplo.

Enquanto a bariátrica é indicada para pacientes com obesidade severa, de graus 2 e 3, o balão gástrico é um procedimento pouco invasivo, indicado para pacientes com sobrepeso/obesidade leve, com IMC entre 27 e 35. Responda o questionário e veja se você é um candidato para cirurgia bariátrica.

Toda transformação é um desafio. A maior parte dos pacientes relata que a dieta exigida é a parte mais complicada, mas, ainda assim, passageira. Em um prazo de 30 dias já é possível voltar à alimentação sólida, em pequenas quantidades.

Normalmente, a licença médica é de 15 dias, em caso de funções que não exijam esforço físico severo. 

Essas são algumas comorbidades relacionadas à obesidade que são indicativas para a realização da cirurgia.

O tempo cirúrgico varia de acordo com as condições do paciente e da técnica utilizada. Geralmente, entre 1h e 2h.

O paciente permanece internado por cerca de 2 ou 3 dias, a depender de sua evolução.

Geralmente não é necessário encaminhar um paciente em pós-operatório imediato de bariátrica para as Unidades de Terapia Intensiva. Mas é necessário que o hospital conte com esse suporte para o caso de possíveis complicações.

A bariátrica aliada aos novos hábitos adotados pelo paciente após o emagrecimento pode melhorar os quadros de diabetes e pressão alta. Atualmente, existe uma técnica de cirurgia gástrica voltada para o tratamento de diabetes mellitus. Clique aqui e saiba mais sobre a cirurgia metabólica.

RESPONDA O QUESTIONÁRIO E VEJA SE É UM CANDIDATO À BARIÁTRICA

Questionário
Há quantos anos você tenta emagrecer sem sucesso? *
Possui comorbidades, como diabetes ou hipertensão? *

IMC

cm
kg
ft
in
lbs